Segunda-feira, 16 de Novembro de 2015
Reviravoltas

É impressionante, e um bocado estranho, o facto de que sempre que alguém se lembra de voltar a falar para mim ou pedir-me desculpa vêm todos ao mesmo tempo. E não, não são amigos, são pessoas de circulos completamente diferentes sempre. Esta semana passada foi um pouco atribulada, visto que quando me acontece algo, é tudo ao mesmo tempo, e por isso é que não postei grande coisa, mas tentei ir aos vossos blogs manter-me a par! Então vou vos resumir a semana passada:

 

Terça-Feira: O meu ex manda-me mensagem (e eu não quero ter nada a ver com ele mesmo) e disse-lhe "o quê que tu queres?" e ele "estive a pensar em ti, não precisavas de ser agressiva." Querido, se já me conhecesses bem devias saber que quando digo uma coisa cumpro-a, e se te disse no passado que nunca mais queria voltar a falar contigo nem ver-te, é porque não quero!

Quarta-Feira: Este foi o pior dia de todos. Um dos maiores sustos da minha vida. O meu cão foi atropelado. Nunca tal me acontecera e vocês nem imaginam como fiquei. Simplesmente porque eu tinha uns centímetros de porta aberta enquanto varria a entrada, e do nada o Boogie foge-me para a estrada diretamente, enquanto eu vou a correr atrás dele, ele vai contra um carro. Sim, acho que a sorte no meio do azar até foi essa. O carro não foi contra ele nem o levou à frente, o Boogie ia correr para a estrada a olhar para trás para mim (para verem o quão trapalhão ele é), e foi contra o pneu do carro. O carro travou logo. Eu pus me de joelhos no passeio para ele vir ter comigo, e a única coisa que ele aparentava era ter um olho a piscar como se tivesse entrado algo para a vista dele, e parecia meio atordoado, até porque ele deu uma cambalhota no chão com o impacto. (imagem que sei que nunca mais conseguirei vir a apagar da memória) O rapaz do carro veio ter comigo para ver se estava tudo bem, e eu disse que sim, naquela hora não conseguia ver nada à frente já, mas mais tarde pensei que pouca gente se daria ao trabalho de parar o carro no meio da estrada e vir ter comigo. 

Eu levei-o logo para dentro e peguei no biscoito preferido dele para ver se ele reagia da mesma forma como costuma reagir, e sim, estava a reagir normal. No fim do biscoito começa a fazer um barulho como se estivesse engasgado e tentava vomitar e nunca mais parava. Nessa altura já eu chorava baba e ranho e apetecia-me espetar a cabeça na parede. Peguei no Boogie levei até à loja do meu pai para ver se ele achava que o cão estava igual. No exato momento, que vou a tentar explicar o que se passou ao meu pai (nem me saiam as palavras) o Boogie começa a deitar espuma com sangue. Meu deus. Caiu-me tudo. Só pensei que ele podia ter quebrado uma costela e perfurado o pulmão. O meu pai começou a passar-se como eu, e só tive tempo de pegar na chave do carro e no cartão do multibanco e ir a voar para o veterinário. Se querem que seja sincera, eu sei que fiz o caminho até lá, mas parece que nem me lembro de o ter feito, já não via nada mesmo à minha frente... Cheguei ao veterinário e a Dra. viu logo pela minha cara o que se passava só que eu estava a chorar imenso e sentia um aperto tão grande no peito que não conseguia dizer nada, e ela disse para me acalmar para poder ajudar. Foi então que tentei explicar, e ela percebeu tudo e foi logo analisar o estado do Boogie. Tocar nos ossos, vértebras, ligações e tudo isso, e disse-me que ia fazer um raio-x. Sentei-me à espera, mas cada minuto parecia uma hora. Até que pedi para ir fumar um cigarro, porque era a única coisa que me podia acalmar naquele momento e eu estava a tremer imenso. Estava em pânico. Depois voltei para a sala de espera, e mais tarde a Dra. deixa-me o Boogie comigo sem dizer nada, e eu a desesperar. Depois foi altura de fazer uma ecografia na qual eu participei para ele ficar mais calmo. Reparem que ele não tinha sangue visível nem nada por isso não sabia se algo se passava interiormente. A Dra. rapou o pelinho que já era pouco da barriga e começou a fazer a ecografia, disse que estava tudo bem, indicando-me sempre no visor de que orgão estava a falar, a única coisa que viu é que ele tinha um coração demasiado grande para a idade dele (só tem 2 anos). Depois as ajudantes ficaram com o Boogie enquanto a Dra me quis mostrar o raio-X, ela explicou-me que não tinha partido nada, e que tinha "apenas" uma contusão pulmonar, ou seja, é provocado pelo impacto do acidente e tinha sangue pisado nos pulmões. Disse que em princípio tudo ficaria bem, só  queria que ele ficasse em observação durante a tarde no veterinário para ver se os pulmões não ganhavam liquído. Liguei à tarde e as 6h da tarde pude ir busca-lo, eu e o meu pai estavamos ansiosos por ir vê-lo. Ele estava a tremer cheio de medo, porque ele já tinha levado 3 injeções e estava num meio que não era normal para ele. A Dra. disse que a única coisa que teria que fazer é de manhã, antes de ele comer, dar um protetor de estômago e no fim da refeição da manhã e da noite dar um antibiótico que tem que se partir em 3/4. Mal ele entrou no carro já parecia o mesmo, a saltar para cima e para baixo e sempre muito curioso a ver as pessoas a passar. O antibiótico acaba hoje, e ele esteve sempre estável e bem. Só não pode é fazer esforços como correr e subir e descer escadas durante uma semana, por isso já está quase! Deixo-vos aqui uma foto dele para verem como o meu bebé é lindo! Nem imaginam o tamanho do susto, quando um animal que é nosso e está sob nossa responsabilidade, sofre um acidente destes... O vosso coração parece que se despedaça por momentos.

Quinta-feira: Lembram-se de eu vos falar ainda há pouco tempo daquele que era meu melhor amigo há 15 anos e que nos chateamos? Bom, nesse dia ele ligou-me a pedir para falar comigo. E eu aceitei, e juro que fui com o pensamento de não fazer as pazes com ele porque ainda estava (e estou) magoada, mas pela primeira vez na vida ele pediu-me desculpa com sinceridade. Ele é muito orgulhoso e nunca mas nunca pede desculpas a ninguém. E pela primeira vez, também admitiu que errou. Conversamos sobre o que se passou, o que tinha mudado no "grupo" durante este mês que eu não estive lá, e contou-me coisas que eu fiquei chocada. Como eu já estava a espera, os outros 2 começaram a mostar as suas true colors, a partir do momento que tudo se passou. Já sabia. Mas é bom para ele ver como eu fui sempre a amiga verdadeira que esteve do lado dele, sem interesses nenhuns como os outros 2 fizeram. Podem-me chamar burra e eu sei que fui, mas perdoei-o e esta sexta já saímos e tudo. Opa, eu perdoo mas não esqueço. E é difícil não perdoar alguém que sempre esteve presente na minha vida, ainda por cima por causa de algo tão estúpido. Os outros 2 que também eram meus amigos supostamente, só os conhecia há uns 8 meses, com esses é que não quero mesmo conversa, não senti saudades, desiludiram-me imenso, e não estou para andar com pessoas interesseiras.

Sexta-Feira: Eu tinha um amigo emigrado na Holanda, que bem, já tive uma crush por ele. Então não é que ele agora voltou para aqui de vez e está a morar sozinho? Ui, senti-me em pulgas mas ainda não estive com ele... Até porque ele já deu dicas de coisas mais marotas do tipo "Ah a minha cama é muito grande e eu estou aqui sozinho". Não, R, comigo isso não funciona assim. Podes ser muito jeitoso, e tenho um carinho enorme por ti, mas não é assim que me conquistas. Vamos lá a ver, como as coisas correm, mas sei que no dia que for visitá-lo até borboletas na barriga vou sentir! 

Mais tarde à noite, a notícia do que se passou em Paris. Fiquei parva e ainda não sei bem o que dizer sobre isso. Não conhecia ninguém que esteve envolvido na tragédia, mas sinto-me triste por causa daquilo a que o nosso mundo está a chegar. Retirar a vida a uma quantidade enorme de pessoas inocentes... É impossível não me sentir desanimada com toda esta situação. No entanto, já soube que a França atacou nos pontos principais do Estado Islâmico e acho muito bem. Com certeza, vão haver pessoas que não vão concordar até porque violência gera violência, e também acho que é verdade, mas estes monstros (para não chamar outra coisa que bem cá sei) do Estado Islâmico têm que ser todos exterminados sem mesericóridia nenhuma!


Bom e foram estas razões que me deixaram meio atordoada e sem inspiração para postar nada nestes dias. Desculpem este testamento enorme. E obrigado por me ouvirem, neste caso lerem eheheh 

publicado por Mystic às 12:00
link do post | comentar |
15 comentários:
De omeumaiorsonho a 16 de Novembro de 2015 às 17:30
Ia chorando com a história do cãozinho é tão lindo
De Mystic a 16 de Novembro de 2015 às 17:55
Eu fartei-me de chorar neste dia. Chorei mais do que o ano todo, sem dúvida!

Comentar post

Sobre Mim
Recente

Assuntos Especiais

E porque nem tudo são boa...

Amo-te Meu Amor

Desculpem a minha ausênci...

Mais uma etapa

Overthinking

TAG: Top 5 Chocolates

Passagem de Ano

Objetivos para 2016

Um Natal melhor do que es...

Arquivo

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

A ler...